Álbuns que você precisa ouvir: Direto do campo de extermínio

“Aí ladrão, no campo tem dois personagens em cena: a bola e o jogador. Um nasceu pra chutar e o outro pra ser chutado. Só depende de você o papel que você quer protagonizar no filme de terror…”.

De forma intensa e atemporal, nasce em 2003 um dos maiores e mais importantes álbuns do RAP nacional, “Direto do campo de extermínio” por ninguém mais ninguém menos que Facção Central.

Direto-Do-Campo-De-Exterminio-cover

O álbum é sexto da carreira do grupo, com 29 músicas divididas em um CD duplo. No mesmo ano do lançamento, o grupo conquistou o Prêmio Hutúz – uma das principais premiações do HipHop brasileiro – em duas categorias: Melhor álbum e Música do ano com o clássico “O Menino do Morro” – música inspiração para o livro de Bruno Rico, O Menino do Morro Virou Deus, lançado em 2013.

O que mais chama atenção nesse álbum é que cada música se torna um espelho, em que o reflexo da nova sociedade ainda reflete as mentiras, o ciclo de ódio, a segurança que mata e a mortífera desigualdade dos anos passados. Uma verdadeira obra literária marginal.

Já no primeiro som, você recebe na cara gritos de resistência e requintes de realidade nua e crua, “Prepare as algemas, forme o inquérito, abra o processo que eles estão de volta sem freio na língua, sem meia verdade, história engraçada ou frase bonita.”.

Sem mais delongas… Escute! Mas esteja preparado, o conteúdo é forte e não vai deixar os seus neurônios cativos. Clique aqui para ouvir

Facção Central

 

Álbuns que você precisa ouvir: The Blueprint

O Rap em Movimento faz uma sessão especial de álbuns de rap  que você precisa ouvir antes de morrer.

Para poder estrear essa lista, o primeiro disco é o The Blueprint, do rapper Jay Z, lançado em 11 de setembro de 2001. Sim, ele coincidiu em ser lançado nessa data! Mas vamos deixar um pouco de lado as teorias da conspiração. O álbum está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.

Para quem não sabe o Rock and Roll Hall of Fame é um museu e uma instituição que fica em Cleveland, Ohio. Em português a tradução é “Salão da Fama e Museu do Rock and Roll”. É um espaço dedicado para registrar a história de alguns dos mais conhecidos e influentes artistas e produtores e outras pessoas que tiveram grande impacto na indústria do rock e do pop. E claro que Jay Z não poderia ficar de fora dessa!

O The Blueprint é o sexto álbum de estúdio do rapper e o som contrasta muito com seu álbum anterior que foi o The Dynasty: Roc La Familia. O álbum apresenta um sampling baseado em soul e teve a colaboração do Kanye West e Just Blaze. O lançamento do álbum foi antecipado para combater a pirataria e foi gravado durante o ano de 2001 no Manhattan Center Studios e Baseline Studios em Nova Iorque.

Apesar de o lançamento ter coincidido com os ataques de 11 de setembro, The Blueprint vendeu mais de 420.000 cópias na mesma semana. Esse marco fez com que esse fosse o quarto álbum consecutivo de Jay Z a chegar ao número 1 da para musical da Billboard 200.

O álbum teve 4 singles: Izzo (H.O.V.A), Girls, Girls, Girls , Jigga That Nigga e Song Cry.

the blueprint -costa

O rapper Eminem também teve uma participação especial nesse álbum na faixa “Renegade”.

  • Curiosidade:

Na época da gravação, Jay-Z estava esperando dois julgamentos, um por porte de armas e outro por agressão, e havia se tornado um dos artistas de hip hop mais insultados, recebendo insultos de rappers como Nas, Prodigy, e Jadakiss.

De todos os álbuns do rapper o The Blueprint é o mais leve em relação aos outros trabalhos de Jay Z, essa batida mais baseada no soul ajudou nessa fluência. Do álbum Izzo e U Don’t know estão entre as minhas favoritas.

Ouça o álbum na íntegra aqui