Programação de Rap da Virada Cultural 2015

Nos dias 20 e 21 de junho, a cidade de São Paulo irá se transformar, pela 11ª vez, em um grande palco a céu aberto de música, teatro e muita arte. É a virada Cultural. E o Blog Rap em Movimento faz um mapa dos shows da cultura hip hop pra você.

No Palco Júlio Prestes Emicida convida Martinho da Vila e João Donato

Foto divulgação

Local: Palco Júlio Prestes
Endereço: Praça Júlio prestes s/n – são paulo – sp
Data: domingo, 21 de junho de 2015
Horário: 15:00

http://viradacultural.prefeitura.sp.gov.br/2015/programacao/atracao/##9542

No Vale do Anhangabaú tem o Dexter

Dexter Foto Divulgação

Local: Vale do Anhangabaú
Endereço: Vale do Anhangabaú, s/nº
Data: domingo, 21 de junho de 2015
Horário: 14:00

http://viradacultural.prefeitura.sp.gov.br/2015/programacao/atracao/##9470

Para aproveitar a viagem no mesmo lugar tem o show “Uma Viagem pelo Rap Nacional – Com Milton Sales e convidados”.

Com Pepeu, Thaíde, Posse Mente Zulu (Rappin Hood), Duckjam, Filosofia de Rua, Xandão Química, Rimatitude, Família Ducorre, Poetas Modernos, Tate, Pelther LB, Ágabo e Yzalú

Local: Vale do Anhangabaú
Endereço: Vale do Anhangabaú, s/nº
Data: domingo, 21 de junho de 2015
Horário: 16:00

http://viradacultural.prefeitura.sp.gov.br/2015/programacao/atracao/##9473

Com seu estilo excêntrico a Shanawaara se apresenta no Arouche

Local: Palco Arouche x Duque de Caxias
Endereço: Av. Duque de Caxias, 62 – São Paulo, SP
Data: sábado, 20 de junho de 2015
Horário: 23:30

http://viradacultural.prefeitura.sp.gov.br/2015/programacao/atracao/##9565

A cantora chilena Ana Tijoux se apresenta no palco Cásper líbero. Recomendo esse show !!

ana-tijoux-divulgação-2-664ab9f3519f820639625379c1710ed3

Local: Palco Casper Líbero
Endereço: Avenida Cásper Líbero, alt. Nº 100
Data: domingo, 21 de junho de 2015
Horário: 16:00

http://viradacultural.prefeitura.sp.gov.br/2015/programacao/atracao/##9551

O Mc Garden se apresenta no CEU Heliópolis. Ele canta funk mas sua pegada de protesto é bem interessante

Local: CEU Heliópolis
Endereço: Estrada das Lagrimas, nº 2385 – São João Clímaco – SP
Data: domingo, 21 de junho de 2015
Horário: 16:00

http://viradacultural.prefeitura.sp.gov.br/2015/programacao/atracao/##9227

Mano Réu se apresenta no CEU Pêra Marmelo

Local: CEU Pêra Marmelo
Endereço: Rua Pêra Marmelo, 226, Jardim Santa Lucrecia Pirituba
Data: sábado, 20 de junho de 2015
Horário: 21:00

http://viradacultural.prefeitura.sp.gov.br/2015/programacao/atracao/##9210

E no mesmo CEU tem uma apresentação de mulheres no Hip hop

Local: CEU Pêra Marmelo
Endereço: Rua Pêra Marmelo, 226, Jardim Santa Lucrecia Pirituba
Data: sábado, 20 de junho de 2015
Horário: 22:00

http://viradacultural.prefeitura.sp.gov.br/2015/programacao/atracao/##9180

O Rael se apresenta no mesmo CEU

Local: CEU Pêra Marmelo
Endereço: Rua Pêra Marmelo, 226, Jardim Santa Lucrecia Pirituba
Data: domingo, 21 de junho de 2015
Horário: 18:00

http://viradacultural.prefeitura.sp.gov.br/2015/programacao/atracao/##9226

O rapper Rico Dalasam se apresenta no palco Leônico de Carvalho. Também recomendo esse show

Foto reprodução

Local: Palco Leôncio de Carvalho
Endereço: Rua Leôncio de Carvalho, 50, São Paulo – SP
Data: domingo, 21 de junho de 2015
Horário: 15:10

http://viradacultural.prefeitura.sp.gov.br/2015/programacao/atracao/##8486

No Sesc Pq. Dom Pedro II terá uma apresentação de uma JAM de danças urbanas

Local: Ocupação Sesc Pq. D. Pedro II
Endereço: Praça São Vito, s/n
Data: domingo, 21 de junho de 2015
Horário: 12:00

http://viradacultural.prefeitura.sp.gov.br/2015/programacao/atracao/##9427

No mesmo Sesc tem apresentação do Rashid

Local: Ocupação Sesc Pq. D. Pedro II
Endereço: Praça São Vito, s/n
Data: domingo, 21 de junho de 2015
Horário: 17:00

http://viradacultural.prefeitura.sp.gov.br/2015/programacao/atracao/##9423

Ta faltando algum? Deixa um salve ai pra poder incluir na programação!

Anúncios

Álbuns que você precisa ouvir: The Score

O Rap em Movimento faz uma sessão especial de álbuns de rap  que você precisa ouvir antes de morrer

TheScore

Lançado mundialmente em 13 de Fevereiro de 1996 o The Score é o segundo e o último álbum de estúdio do trio Fugees. O álbum apresenta um hip hop alternativo com uma variedade de instrumentos e de samples. The Score foi produzido pelo próprio trio, Lauryn Hill, Wyclef Jean e Pras Michel, e com uma produção adicional de Salaam Remi, John Forté, Diamond D, e Shawn King.

Além dessa sonoridade diferente do que se tocava na época o The Score trouxe um discurso político e se tornou um dos álbuns de Hip Hop mais vendidos da história. O álbum foi número um nas paradas da Billboard 200, e Top R&B/Hip Hop Álbuns (foi o álbum número um na última na parada de fim de ano).

Em outubro de 1997, The Score foi certificado como disco de platina sêxtupla pela Recording Industry Association of America (RIAA). Em 1998, o álbum foi incluído na lista dos 100 melhores álbuns de rap da revista The Source, e em 2003, foi ranqueado o número 477 na lista dos 500 Melhores Álbuns de Todos os Tempos da revista Rolling Stone. Este álbum está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.

O single “Killing Me Softly” foi um cover de um clássico dos anos 70, que foi sucesso na voz de Roberta Flack. O cover na voz de Lauryn Hill rendeu ao grupo um Grammy de “Melhor Performance de RnB por Dupla ou Grupo Vocal”. A música mostrou ao mundo toda a potência da voz da Lauryn Hill.

Foto reprodução
Foto reprodução

Os singles “Fu-Gee-La,” e “Ready or Not” também alcançaram notável sucesso nas paradas, e ajudaram o grupo a atingir reconhecimento mundial.

O álbum sem dúvidas foi de grande importância para o hip hop. Falar de R&B e não lembrar Lauryn Hill é quase impossível. Quando você ouve The Score você viajar para outra década. Sem dúvidas é um dos meus favoritos e ouço todas as músicas sem cansar.

 

Ouça o single Ready or Not;

 

 

 

 

 

 

Álbuns que você precisa ouvir: The Blueprint

O Rap em Movimento faz uma sessão especial de álbuns de rap  que você precisa ouvir antes de morrer.

the blueprint capa

Para poder estrear essa lista, o primeiro disco é o The Blueprint, do rapper Jay Z, lançado em 11 de setembro de 2001. Sim, ele coincidiu em ser lançado nessa data! Mas vamos deixar um pouco de lado as teorias da conspiração. O álbum está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll Hall of Fame.

Para quem não sabe o Rock and Roll Hall of Fame é um museu e uma instituição que fica em Cleveland, Ohio. Em português a tradução é “Salão da Fama e Museu do Rock and Roll”. É um espaço dedicado para registrar a história de alguns dos mais conhecidos e influentes artistas e produtores e outras pessoas que tiveram grande impacto na indústria do rock e do pop. E claro que Jay Z não poderia ficar de fora dessa!

O The Blueprint é o sexto álbum de estúdio do rapper e o som contrasta muito com seu álbum anterior que foi o The Dynasty: Roc La Familia. O álbum apresenta um sampling baseado em soul e teve a colaboração do Kanye West e Just Blaze. O lançamento do álbum foi antecipado para combater a pirataria e foi gravado durante o ano de 2001 no Manhattan Center Studios e Baseline Studios em Nova Iorque.

Apesar de o lançamento ter coincidido com os ataques de 11 de setembro, The Blueprint vendeu mais de 420.000 cópias na mesma semana. Esse marco fez com que esse fosse o quarto álbum consecutivo de Jay Z a chegar ao número 1 da para musical da Billboard 200.

O álbum teve 4 singles: Izzo (H.O.V.A), Girls, Girls, Girls , Jigga That Nigga e Song Cry.

the blueprint -costa

O rapper Eminem também teve uma participação especial nesse álbum na faixa “Renegade”.

  • Curiosidade:

Na época da gravação, Jay-Z estava esperando dois julgamentos, um por porte de armas e outro por agressão, e havia se tornado um dos artistas de hip hop mais insultados, recebendo insultos de rappers como Nas, Prodigy, e Jadakiss.

De todos os álbuns do rapper o The Blueprint é o mais leve em relação aos outros trabalhos de Jay Z, essa batida mais baseada no soul ajudou nessa fluência. Do álbum Izzo e U Don’t know estão entre as minhas favoritas.

Ouça o álbum na íntegra aqui

spotify:album:6B6oAl9khSfT48DPfKtrrG

 

Kendrick Lamar lança novo álbum: To pimp a butterfly

Rapper Kendrick Lamar
Rapper Kendrick Lamar

O novo álbum do rapper Kendrick Lamar, “To pimp a butterfly”,foi disponibilizado antecipadamente no Spotify e no iTunes. O disco já bateu recorde de audiência no serviço de streaming de músicas no Spotify.

Com participações de Snoop Dogg, George Clinton, Pharrell, Flying Lotus e Dr. Dre, o disco é o terceiro da carreira do rapper. “To pimp a butterfly” conserva o ritmo funk próprio de um rapper que busca alusões históricas mais profundas. Incomum para este tipo de álbum, inclui passagem faladas sem música.

O rapper que é nascido na Califórnia (Westside) carrega o estilo de Tupac. Esse novo álbum reflete ainda mais essas características, pois vem carregado de reflexões sobre a luta contra o preconceito racial. Quem está familiarizado com o estilo de Tupac vai sentir uma proximidade nesse álbum.

Capa do álbum 'To pimp a butterfly', do rapper americano Kendrick Lamar (Foto: Interscope Records/AP)
Capa do álbum ‘To pimp a butterfly’, do rapper americano Kendrick Lamar (Foto: Interscope Records/AP)

Parabéns Mos Def

Dante Terrel Smith completou mais uma primavera. Mais conhecido como Mos Def é um rapper americano que nasceu no dia 11 de dezembro de 1973. Seu nome artístico veio da frase “most definitely”. O rapper que também é ator começou sua carreira como músico no grupo de hip hop Urban Thermo Dynamics juntamente com DCQ e sua irmã. Fez parcerias também nesse período com o grupo Da Bush Barbies e De La Soul. Também colaborou com o grupo Black Star em conjunto com o músico Talib Kweli.

Além de um excelente músico, Mos Def tem uma carreira bem sucedida de ator. O rapper ao todo participou de 19 filmes e 4 séries. Os filmes mais famosos foram: Uma Saída de mestre, 16 Quadras, Showtime, Rebobine por favor e O Guia do Mochileiro das Galáxias.

Cena do filme - Rebobine por favor
Cena do filme – Rebobine por favor

Mos Def também é conhecido por suas críticas a respeito da polícia e por suas letras que tratam de temas como a banalização do Rap e temas que tocam na ferida do mundo.

O Rapper já teve algumas passagens pelo Brasil. Em 2006 Mos Def gravou no Rio de Janeiro o documentário 4real que entrevista o MV Bill na Cidade de Deus, o foco era conhecer os problemas sociais e comunitários da sociedade. Na mesma época da gravação do documentário fez uma apresentação da 7ª edição do festival Hutúz.

Em dezembro de 2009 o rapper foi uma das atrações do Festival Indie Hip Hop que aconteceu no SESC de Santo André em São Paulo.

Discografia :

·         Black on Both Sides (1999)

·         The New Danger (2004)

·         True Magic (2006)

·         Mos Definite (2007)

·         The Ecstatic (2009)

Veja no Link uma galeria de fotos do Rapper!

http://www.photosnack.com/marianapaulino50/fotos-do-rapper.html

Depois de conhecer um pouco da vida desse grande rapper ouça um de seus álbuns mais famosos Black on Both Sides.

spotify:album:4jZI8SruF5N6sKJoWItEhl

SP RAP

No dia 30 de novembro o cento de São Paulo foi invadido, foi tomado e foi infectado por um vírus. O vírus do RAP!

A primeira edição do SP RAP (espero que seja a primeira de muitas) foi realizada na Praça das Artes. O evento foi realizado pela Bola Fria Produções e com certeza marcou história no rap nacional. O encontro reuniu várias gerações do rap como, Thaide, Flora Matos, Karol Conka, Dj Pathy de Jesus, Dj Kl Jay , RZO , entre outras atrações. Segundo matéria na Folha de São Paulo o evento reuniu 15 mil pessoas. O SP Rap reuniu b-boys, grafite , mcs e djs.

O evento foi em comemoração ao mês da consciência negra. Em um ano muito favorável ao rap nacional o SP RAP foi o evento que faltava para encerrar o ano.

Particularmente um dos momentos mais emocionantes foi ver RZO de volta aos palcos após 10 anos. O grupo cantou sucessos como, paz interior e filme triste. Os Dj’s Cia, Kl jay e Pathy de Jesus arrebentaram e conduziram essa festa nos intervalos entre os shows de maneira espetacular.

Todos que estavam na praça das artes foram contaminados por terem respirado o ar mais puro do RAP Nacional. Essa iniciativa foi muito importante para fortalecer o cenário. Sinto falta de festivais de Rap em São Paulo. Existem muitos shows, mas reunir todos em um evento só era o que estava faltando.

Como diz na música do Gog

“É o terror é o terror. Rap nacional é o terror que chegou”

Se você não foi no evento veja o que perdeu:
LINE-UP

♦ Mestre de cerimônia: Max B.O.
♦ Projeto Hip Hop Kidz Br
♦ Grafite do Grupo OPNI
♦ Batalha de rimas
♦ As Minas do RAP: MC Gra, Odisseia das Flores, Sharylaine, Shirley Casa Verde, Hannah Lima e Ouro Natto Mc
♦ DJ CIA
♦ Os Manos do RAP: RDG – Rapa Da Godoy, Negredo, Sintonia Lado Sul, Negreta, Thaide, Terra Preta e Dbs Gordaochefe
♦ Rincon Sapiência
♦ DJ KL Jay
♦ Flora Matos
♦ Mano Brown Racionais
♦ DJ Pathy De Jesus
♦ Projetonave e convidados: BNegão, Kamau, Rashid, Xis, Lurdez da Luz,Karol Conka e Flávio Renegado

Procd Brasil Produções - SP Rap Flora Matos
Foto do Facebook Oficial – Procd Brasil Produções
Procd Brasil Produções - SP Rap Flora Matos II
Foto do Facebook Oficial – Procd Brasil Produções
Procd Brasil Produções - SP Rap Kl Jay
Foto do Facebook Oficial – Procd Brasil Produções
Procd Brasil Produções - SP Rap Mano Brown
Foto do Facebook Oficial – Procd Brasil Produções

Mais fotos no facebook Oficial – https://www.facebook.com/ProcdBrasil

Facebook Oficial do Evento – https://www.facebook.com/SPRAPoficial

Continue Lendo “SP RAP”

Parem as maquinas!

Interrompemos a programação, as notícias, as novidades, os trabalhos finais de faculdade, notícias sobre o novo álbum do Racionais para falar sobre racismo. Isso mesmo, século XXI racismo é a palavra. Racismo, injustiça e hipocrisia estas são as palavras chave.
No mês agosto a cidade de Ferguson, situada nos arredores de Saint Louis, no estado do Mussouri, presenciou uma onda de protestos. Tudo aconteceu porque o jovem negro Michael Brown de 18 anos foi baleado por um policial branco com seis tiros. Ainda não foram esclarecidas quais foram as circunstâncias que levaram o policial a atirar no jovem que estava desarmado. Ferguson ficou em luto, os moradores disseram que só iriam descansar com justiça. Isso infelizmente não aconteceu.

Foto de Michael Brown
Foto de Michael Brown

O júri absolveu Darren Wilson o policial branco que matou Michael Brown. Após ouvir a versão de 60 testemunhas, o grande júri decidiu que não existe “causa provável” para acusar o agente. A cidade está em chamas por justiça. Isso está desencadeando ondas de protesto por todo estado americano.
A hipocrisia chega ser absurda, pois no começo do ano um jovem negro nos EUA foi condenado a 35 anos de prisão por matar um cachorro de um policial. Isso mesmo 35 anos. Até onde vai a hipocrisia? Pra nós brasileiros essa realidade bate na nossa porta infelizmente todos os dias. “Me vê, pobre, preso ou morto, Já é cultural”, letra da música Negro Drama. Não posso afirmar que isso é um caso isolado nos EUA tanto porque a mídia não transmite. O que a mídia mostra é o ‘Sonho americano’.
Nas redes sociais os artistas americanos estão se manifestando contra esse preconceito. Os rappers P. Diddy, Ludacris, Snoop Dogg publicaram diversas mensagens de indignação.
É triste ver em um país de onde saíram tantos negros bem sucedidos ter esse tipo de retrocesso.

A grande mídia não faz o paralelo entre os dois casos e outros que ainda estão em aberto. Mas quem sou eu para falar alguma coisa, afinal eu só sou uma jovem negra que mora em periferia prestes a virar estatística a qualquer momento.

As matérias com as duas notícias estão logo abaixo.

Foto instagram
“If I ruled the world, imagine that…
I’d free all my sons, I love em love in baby…” Nas

"Let's not just make noise. Let's make a difference." -The parents of 18 year old Michael Brown. #ferguson
“Let’s not just make noise. Let’s make a difference.” -The parents of 18 year old Michael Brown. #ferguson

#blackfriday

http://www.thestate.com/2014/01/06/3192806_man-accused-of-killing-police.html?rh=1

http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/juri-absolve-policial-que-matou-jovem-negro-em-ferguson