Enriqvx realizará show de lançamento do EP Usual com convidados

O evento irá acontecer no dia 27 de abril em uma casa de show no centro de São Paulo
Rap- Enrique
Foto: Marcola

 

No dia 27 de abril, às 23h, Enriqvx fará show de lançamento de seu EP Usual em uma casa de shows no centro de São Paulo, coração do underground paulistano. Novo na cena do rap paulistano o jovem mc que escreveu seu primeiro rap aos 15 anos lança seu primeiro trabalho solo totalmente conceitual. “Usual: aquilo que é comum, corriqueiro”, assim descreve o título de seu trabalho.

O evento contará com participações de importantes nomes como Alt Niss, integrantes do selo HFF e representantes de influentes coletivos da capital. O evento acontece no AJ clube a partir das 23h. Os ingressos podem ser comprados na porta da casa de show e estarão custando entre R$15 e R$20 reais.

Nesse projeto enriqvx transita entre as batidas em seu EP, buscando trazer sua realidade para as músicas, o jovem se expõe em versos cheios de sonoridade e bastante ego oriundo da zona leste paulista. Habituado com os metrôs lotados e os corres da vida, temos um disco que carrega consigo a essência do jovem negro em meio ao caos da cidade cinza e aquela incessante vontade de estar perto da natureza e fugir um pouco da correria e dos problemas.

Sobre o artista

Enriqvx  nasceu Ricardo Enrique na Mooca, tradicional bairro de São Paulo. Torcedor do Juventus, o mc de 21 anos escreveu seu primeiro rap aos 15, quando entrou de cabeça no movimento hip-hop. Quatro anos depois, montou seu próprio selo de música independente, chamado HFF, que lança seus trabalhos e os sons de outros jovens artistas de São Paulo ligados ao rap underground.

Lançamento USUAL EP

Dia: 27 de abril

Horário: às 23h

Local: AJ Club – Rua Vitória, 820 – Centro

Valor:  R$ 15 com nome na lista e R$ 20 na porta

Mais informações:https://www.facebook.com/events/2056063574634796/

 

Anúncios

Hey Boy, para de pedir Racionais no show do Brown

O Rap Em Movimento encostou no festival Lollapalooza sábadão (24), e óbvio que foi acompanhar o show do soulman Mano Brown. Dos melhores que já vi na vida, mas é uma pena ver que muita gente não se preocupou em enxergar a beleza do momento, por achar que o Brown se baseia apenas em Racionais e vice-versa.

Foi uma satisfação imensa colar em um show de estilo musical que até então eu nunca tinha presenciado ao vivo, e o Mano Brown faz questão que sua apresentação tenha toda essa temática da música funk e soul. Ficou claro desde o início que aquilo não era um show de rap do Racionais MC’s, (se fosse, maravilha também, mas não era), e fica chato pra caralho ficar ouvindo gritos das pessoas pedindo Vida Loka sem que o artista termine de cantar a segunda música.

É chato ver que ainda tem gente que quer basear a carreira de um dos maiores artistas do Brasil, com tanta relevância até mesmo fora do âmbito musical, apenas a um momento da sua carreira, e achar que ele só tem algo a dizer se lançar no palco os sons que não são da sua carreira solo. Vi gente saindo do show quando perceberam que ele não ia cantar Racionais, feio. E o engraçado é que ele cantou “Eu te Proponho”, que é do disco Cores e Valores, do grupo Racionais, mas parece que sequer perceberam esse detalhe, da mesma forma que não repararam que ele falou para respeitar a mulher brasileira nesse momento de transição.

O show foi foda, momento único, vou guardar pra sempre na memória. Mas fico na torcida para que o público saiba dar mais valor as mensagens que os artistas têm para passar, independente do momento que eles passam em sua carreira, o Mano Brown por exemplo, não ficou menos perigoso por estar cantando funk e soul, será que é tão difícil assim ir no seu show e não ouvir Vida Loka?

Grande Final Estadual do Circuito Paulista de Batalhas de MC’s

No dia 4 de novembro acontece a final do CPBMC – Circuito Paulista de Batalhas de MC’s – no Teatro Sérgio Cardoso, R. Rui Barbosa, 153 – Bela Vista a partir do 12h30. O evento será gratuito e terá Pocketshows com TR e VinicinGabi Nyarai e Crônica Mendes​​

O CPBMC é o maior circuito de batalhas de rimas de improviso da HISTÓRIA. Foram quatro meses de peneiras, três fases de seletivas e mais de 100 batalhas de rua participantes,Oito seletivas Regionais que resultaram em 16 MC’s que disputarão o título de melhor MC do Estado.

O grande vencedor representará São Paulo no Duelo de MC’s Nacional que acontece nos dias 25 e 26 de novembro em Belo Horizonte, a competição mais esperada do ano pelos MC’s e amantes das batalhas de improviso, aonde disputará contra MCs de outros 15 estados o título de Melhor MC do País.
Sobre o CPBMC

O Circuito Paulista de Batalha de MCs acontece desde 2012, teve origem na Rinha dos MCs – Tradicional evento da cidade de São Paulo, criado por Criolo e DJ Dandan – para selecionar um MC para ser representante do Estado de São Paulo no Duelo de MCs Nacional – Maior competição da modalidade no país atualmente.

Em 2016 teve sua final em Francisco Morato, sediada na Batalha da Estação. Evento que contou com mais de 1000 pessoas na plateia e MCs de todas as partes do Estado, selecionados através do circuito.

Em 2017 o Circuito assumiu uma forma organizacional mais institucional e passou a agregar ainda mais batalhas do estado, contando hoje com quase 100 batalhas de MCs cadastradas para a competição deste ano, que já é o maior circuito de freestyle organizado na história das batalhas de MCs no Brasil.

O intuito do CPBMC é trazer mais integração a cena do freestyle paulista de canto a canto do estado. Não só para ser uma competição para definir qual o Melhor MC

de batalha no ano vigente, mas também para ser uma oportunidade de intercâmbio de organizações de batalhas e MCs de diversas regiões além de termos uma celebração da cultura Hip Hop que reúna artistas e fãs de todas as suas expressões

artísticas (Breaking, Graffiti, DJ e MC) através dos eventos que sediam as “Seletivas Regionais” e a “Grande Final Estadual”.
Sobre o Duelo de MCs Nacional 2017

Pelo sexto ano consecutivo o Duelo de MCs Nacional vai reunir artistas e amantes da cultura Hip Hop de todo o Brasil. O mote do encontro é o título de melhor MC improvisador/ra da cultura Hip Hop brasileira a ser disputado por rimadores e rimadoras de todas as regiões do país.

Realizado pela primeira vez no ano de 2012, o Duelo de MCs Nacional tornou-se um marco para o Hip Hop brasileiro. Nestes seis anos, o projeto passou por 9 estados da federação a cada ano e recebeu grandes nomes da cultura Hip Hop em seu palco, com destaque para Emicida, Rappin Hood, Marechal, DJ Nyack, Matéria Prima, Bárbara Sweet, Potencial 3, Stefanie, Slim Rimografia, Gustavo Pontual e DJ Erick Jay.

Para a edição de 2017, o projeto pretende ampliar o seu alcance, contemplando 16 estados, que terão representantes na grande final nacional, a ser realizada no Viaduto Santa Tereza, em Belo Horizonte, no mês de novembro, quando o Duelo de MCs faz 10 anos.

Em sua sexta edição, o projeto amplia o número de cidades atendidas e propõe as seletivas locais em 16 estados brasileiros, envolvendo todas as regiões do país, num processo aberto e democrático, que irá contar com etapas seletivas e eliminatórias em cada um dos estados.

O Duelo de MCs Nacional 2017 prevê a participação de mais de 500 MCs durante as eliminatórias, mobilizando coletivos e artistas de todo o país em prol da disputa.

Quando o Duelo de MCs Nacional 2017 retornar para Belo Horizonte, depois de realizar seu processo seletivo circulando por todas as regiões envolvidas, 16 MCs finalistas vão se encontrar no palco do Viaduto Santa Tereza, em BH, para disputar o título de campeão nacional. A grande final de 2017 está prevista inicialmente para os dias 25 e 26 de novembro. A programação da festa também contará com participação de grafiteiros convidados, apresentações de dança, DJs e shows.

A expectativa do projeto é contemplar diretamente mais de 50 mil pessoas, nas eliminatórias e na grande final (na edição de 2016 a grande final recebeu 10 mil pessoas no centro de BH), além de milhares de pessoas atingidas indiretamente por meio da internet, vídeos de cobertura e transmissão ao vivo das ações. O canal da Família de Rua no Youtube foi acessado por mais de 17 milhões de pessoas, sendo de grande repercussão os vídeos das batalhas realizadas Brasil afora.

Flyer FINAL CPBMC

Com mais de 40 atividades, Mostra Cultural da Cooperifa desafia perseguição à arte

Evento acontecerá entre os dias 21 e 29 de outubro na zona sul de São Paulo e contará com a participação de Wagner Moura, Dexter, Xico Sá, Marcelino Freire, Paulo Lins, Sueli Carneiro, Sarau das Pretas, entre outros   

cooperifa
No próximo sábado (21), começa a 10ª Mostra Cultual da Cooperifa. Completando 16 anos em 2017, o coletivo da zona sul de São Paulo irá receber visitantes entre os dias 21 e 29 de outubro.

“Nós vivemos um período de censura à arte e cultura. Nós, da Cooperifa, resistimos e vamos levar o que há de melhor feito na periferia e fora da periferia para a Mostra”, afirma Sérgio Vaz, fundador do coletivo, lembrando os episódios recentes em que exposições em museus ou centro culturais foram atacadas por setores conservadores da sociedade brasileira.

Com início marcado para o próximo dia 21 de outubro, a “10ª Mostra Cultural da Cooperifa” levará à zona sul a possibilidade do público transitar entre nomes já consolidados com novidades do cenário cultural brasileiro.

Wagner Moura, Xico Sá e Dexter, figuram na mesma programação que apresentará a cantora Fernanda Coimbra, o poeta Akins Kintê e o rapper Cocão. “É importante trazer gente de fora, mostrar que a periferia se tornou um importante palco da cultura brasileira. Mas a maior parte da programação é, e tem que ser, de nomes que a periferia já conhece e que produzem muito do que é consumido pela periferia”, afirma Vaz.

Em 2017, a Cooperifa completa 16 anos e um sarau especial celebrará a data. “Estamos felizes, são 16 anos de sarau e poesia. Toda semana, nos últimos 16 anos, na periferia de São Paulo, depois  de adorar um deus chamado ‘trabalho’, as pessoas param para ouvir poesia”, encerra Sérgio Vaz.

cooperifa2

Pusha T vem para o Brasil na primeira edição do Maze Fest

Com outros importantes nomes como Jeff Staple e Shepard Fairey, primeira edição do festival reúne música, skate, arte, sneakers e talks em nove horas de evento na Audio Club

unnamed

A Maze, uma das maiores e mais conceituadas lojas de moda e acessórios streetwear do Brasil, anuncia a primeira edição do Maze Fest, evento que incentiva a interação entre jovens e criatividade e inspira através do universo da cultura urbana. O festival, que será realizado na Audio Club, no dia 18 de novembro, conta com atrações especiais como exposições, campeonato de skate, fotos e show do rapper americano Pusha T, colaborador de Kanye West e Pharrell Williams, que se apresenta pela primeira vez no Brasil.

O evento oferece palestras e workshops sobre o mercado brasileiro de streetwear, com destaque para os talks com Jeff Staple, fundador da Staple Design, agência criativa de comunicação visual com sede em Nova York.

O artista urbano contemporâneo, designer gráfico, ativista e ilustrador norte-americano Shepard Fairey assina exposição, prints e fotos inéditos no Brasil. Outro destaque do festival é campeonato de skate em formato inédito.

Uma pop up store da Maze com produtos e lançamento exclusivos, além de uma área arcade e food park para os frequentadores completam o evento. Os ingressos já estão à venda na Ticket360 e na bilheteria da Audio.

MAZE FEST @AUDIO CLUB
18 de novembro, das 14h às 23h.
Av. Francisco Matarazzo, 694 – Água Branca, SP
www.ticket360.com.br
Informações: Sac@audiosp.com.br
fone: 3862-8279

Poetas Ambulantes completam 5 anos de poesia no transporte coletivo

Novo repertório e espetáculo é apresentado no Sesc 24 de maio às quartas e quintas-feiras

poetas ambulantes_foto_renata armelin
Foto Divulgação: Poetas Ambulantes

Sem palco e sem microfone, os Poetas Ambulantes realizam uma série de intervenções poéticas gratuitas às quartas e quintas-feiras no Sesc 24 de maio. Inspirados nos vendedores ambulantes que atuam nos transportes públicos, comercializando diferentes produtos, o grupo composto por seis poetas distribui poesias e celebra cinco anos de atuação na capital paulista com um novo espetáculo e repertório.  As apresentações começaram na quarta-feira e ocorrem também nesta quinta-feira (21), e nos dias 27 e 28 de setembro e 04 e 05 de outubro.

Apostando na informalidade e na interatividade, os poetas disparam os textos entre as pessoas, distribuem poesias impressas e sem roda e declamam versos que discutem sobre política, feminismo, amor, fé e humor e contam com a energia do público, que influencia o ritmo do sarau ambulante.

Sob a direção do poeta e ator Beto Belinatti o coletivo composto por Mel Duarte, Carol Peixoto, Jefferson Santana, Mari Staphanato e Thiago Peixoto traz textos autorais e de outros autores (clássicos e contemporâneos), explorando as possibilidades da linguagem poética, com uma nova roupagem para as apresentações, trabalhando repertórios reconstruídos e divididos em temas.

Com textos de Daniel Minchoni, Miró da Muribeca, Racionais, Adoniran Barbosa, Marcelino Freire, entre outros, além de autorais, o repertório Essepê traduz a cidade de São Paulo, com todos seus amores e desamores, reproduzindo o caos e as causas que vivem nela. Com Respeita as Minas o grupo propõe um momento de reflexão em torno do universo feminino, falando de feminismo e discutindo sobre machismo, com textos autorais e de outras autoras e autores, como Elisa Lucinda, Alice Ruiz, Anelis Assumpção, Itamar Assumpção, etc.

poetas ambulantes3_foto_renata armelin

Serviço
O quê:
 Poetas Ambulantes
Quando: 21, 27, 28 de setembro / 04 e 05 de outubro às 14h
Onde: Sesc 24 de maio
Endereço: R. 24 de Maio, 109 – República, São Paulo
Quanto: gratuito
Informações: https://www.facebook.com/PoetasAmbulantes/

É sábado! Festa BLKKK chega a sua 19ª edição.

Sábado, dia 22 de Julho, a Festa BLKKK, idealizada em 2015, chega a sua 19ª edição, reunindo, mais uma vez, diferentes públicos, gerações e vertentes do Hip Hop numa só pista da Rua Augusta, no Bar do Netão, antigo Caos Augusta.
Vins, Rudeboy e Sobral são os DJs residentes que irão comandar a festa, junto com alguns djs do coletivo MOOC.
O nome BLKKK (pronuncia-se “black“) é uma homenagem a música “BLKKK SKKKN HEAD” do artista Kanye West, que inspira, entre outros artistas, o setlist da festa. Nomes como Diddy, Sango, Kaytranada, Amy Winehouse, Travis $cott e Rihanna são alguns exemplos de que o objetivo é misturar a galera, indo dos love songs até o bate cabeça.
Para quem ainda não conheçe, o coletivo de oito integrantes produz também edições especiais da festa. Em janeiro deste ano o pico escolhido pra celebração de dois anos da BLKKK foi o Telstar Hostels, com direito a mergulho na piscina e participação de convidados no lineup, como as minas do Hot Pente, Outro Planet, Nego E e outros monstros da cena. Já na ultima festa FREE organizada pela BLKKK, que aconteceu durante um domingo a tarde, foi a vez de lotar a House of Blubbles, até o último minuto, junto com convidados do coletivo MOOC.
Também promoveram muitos passinhos no Alberta#3 e em collabs como a da festa Dettona, Nigga High as Shit (RJ), Vibe, o Coletivo Pow Pow Pow e a marca Trapo Clothing no Morfeus Club. O trio de DJs residentes também foi convidado para o primeiro evento do “Word of Dance Brazil”, ano passado, que reuniu várias estrelas da dança de rua nacional e internacional.
Então, se liga e não perde o rolê!
Festa BLKKK
Rua Augusta, 84
Bar do Netão (Antigo Caos Augusta)

 

Abaixo vocês podem conferir em algumas fotos a vibe da festa.

 

Fotos por: @abrtrgo
Fotos das edições da festa. Créditos na imagem