Love songs Internacionais

Quem não gosta de uma baladinha ‘black’ para dançar juntinho. O Rap em Movimento fez uma seleção pesadíssima de love songs, procuramos sair do clichê e trazer umas novidades. Segura que é para machucar o coração.

 1 – Ain’t Nobody – Faith Evans

Quer falar de amor? Se liga na tia Faith Evans. Um R&B direto dos anos 1990 para você se apaixonar de vez. Essa música faz parte do álbum Faith de 1995, época em que ela estava in love com o BIG. Confere ai:

2 – Special Affair – The Internet

Só de ouvir a introdução já arrepia tudo. Uma das minhas favoritas do The Internet (um grupo que vale a pena ouvir)

3 – Get You – Daniel Caesar ft Kali Uchis

Essa é para mexer forte na emoção hein. Declaração de amor. Daniel Caesar é um canadense de apenas 22 anos que tem esse vozeirão da porra que está chegando forte na cena do R&B. Enjoy

4 – Just Friends (Sunny) – Musiq

Vocês acharam mesmo que não teria Musiq Soulchild nessa lista? Essa música é para a fase da conquista, quando começa aquela amizade colorida.

5 – Body – Syd

Essa é para dar aquela sarrada. Olha como a Syd vem nesse som… ❤

6 – Let me Love you – Mario

Tinha que exaltar esse hino!! Essa é aquela música de quando toca todo mundo sabe a letra

7 – 21 Questions – 50 Cent ft Nate Dogg

Que música amigos. Que música! Quem disse que 50 cent não sabe fazer love song?

8 – Love on top- Beyonce

Amém Beyonce!

9 – My boo – Usher ft. Alicia Keys

Essa é aquela música de quem está claramente em cima do muro ou de quem viu que perdeu o crush e torce para voltar. Este com certeza tem aquele selo: Que Hino!

10 – Love Never Felt So Good – Michael Jackson, Justin Timberlake

Essa música lindíssima do Justin Timberlake com o Michael Jackson faz parte de um trabalho póstumo de Michael. Se podemos eleger aquela música que só de escutar da vontade de se apaixonar, com certeza é essa.

 

E se você não tem ninguém ou ta na sofrência não se preocupe. Vamos fazer aquela playlist para você ir dormir chorando (zueira). Aquela playlist para você não precisar ouvir sertanejo e chorar ao som de uns bons beats.

Os melhores love songs do rap nacional

Dia nos namorados chegando e os colunistas do Rap em Movimento vão entrar no clima e dar umas dicas de love songs, afinal Vida Loka também ama! Se você não tem ninguém não tem problema, curtir um sonzinho romântico nunca matou ninguém e você pode também usar para outras oportunidades.

Segura minha lista de músicas nacionais para embalar os corações:

1 – Deixa eu te levar – Drik Barbosa (part. Lira)

Esse dueto lindíssimo é para aquecer mesmo o core! Essa é para quem está na fase daquela conquista. Aquela fase que você fala para o embuste  crush que vê não vai zuar o coração dele e você vai ser uma pessoa legal.

“Me ensina a te amar da forma certa e deixa…(Deixa eu te levar)”

2 – Te levar – Terceira Safra

Essa é aquela música bem good vibes de amor. Para planejar aquela trip delícia.

“Eu vou fazer uma grana e te levar daqui…”

Você pode emendar esse trecho na próxima música…

3 – Sair pra gastar -Sorry Drummer, Rincon Sapiencia e Filiph Neo

Depois que o trampo virou um troco vocês podem sair para gastar (haam entendeu as referências?)

Esse som clássico do Sorry Drummer já embalou muitos casais.

“Dinheiro na mão não compra o amor, solidão dói, eu sei
Me dê sua mão no fim dessa dor seremos rainha e rei
Vamos sair pra gastar, sair pra gastar, sair pra gastar”

4 – No seu Radinho – Tassia Reis

Essa música é maravilhosa sem mais. Um R&B delicia de ouvir. Aperte o play e me diz você:

“Me deixa ser seu tchururu no seu beat”

5 – #TamoTransandoDeFato – Lívia Cruz e Djonga

Essa é para aquela pegada mais forte né! A música fala por si só

“Ele me joga no banco de trás, ele me faz Djavanear Racionais”

6 – Remember the Time – Rimas e Melodias

Uma releitura da música Remember the Time do Michael Jackons essa música é para dançar juntinho.

7 – Baiana – Emicida

Essa não poderia faltar nessa lista. Essa é para quando você tá sentindo o friozinho na barriga de início de tudo.

“Baiana cê me bagunço. Pirei em tua cor nagô, tua guia”


8 – Loius Lane – Mano Brown (Seu Jorge, William Magalhães)

Essa é para chegar dançando na pessoa amada (trago de volta). Brown chegou forte no funk com essa música hein.

“Por você eu paro trem. Pra mostrar disposição e não vejo mais ninguém”


9 – Envolvidão – Rael 

Eu não preciso falar nada sobre essa música né. Então da o play ai que essa música já tocou até em casamento.

“Malandro, era inevitável eu não me envolver
Ela é inacreditável, você tinha que ver”

10 – Comofaz – Flora Matos 

Para sair do clichê eu trouxe essa aqui da Florinha. Essa versão acústica é bem calminha e é aquela que você escuta juntinho com o “croshe”

 


Bônus

PIZZA – Sempre

Vim aqui para exaltar o meu atual e único love song possível

#pas

“ P I Z Z A faz meu mundo parar e as brisas se elevar”

 

E ai curtiu? Tem alguma sugestão de som? Manda pra gente!

Ice Cube anuncia música nova para Reedição do clássico “Death Certificate”

O Rapper anunciou hoje em seu Instagram que está preparando uma reedição para o clássico de 1991 que irá ter três composições inéditas. O artista está gravando com a Interiscope Records.

deathcertificate _ree

A reedição do Death Certificate estará disponível para pré-venda em 2 de junho junto com o download da música “Only One Me”. Os outros singles são “Dominate the Weak” e “Good Cop, Bad Cop”.

Quando foi lançado o álbum gerou diversas reações entre controvérsias e aclamação. O Rap em movimento fez uma resenha sobre a história do Death Certificate, confira aqui:

https://rapemmovimento.wordpress.com/2016/02/04/albuns-que-voce-precisa-ouvir-death-certificate/

Ice Cube falou sobre a relevância do Death Certificate, 25 anos depois. “Infelizmente, nossa comunidade está lidando com muitas das mesmas questões”, disse ele. “Eu só espero que os jovens milenaristas que se sentem imponentes possam canalizar sua própria raiva e frustração, ouvindo este disco”.

Seu último trabalho solo foi em 2010 o “I am the West”.

Death Certificate 25th Anniversary Edition Track List

The Death Side

  1. “Only One Me”
  2. “Good Cop, Bad Cop”
  3. “Dominate The Weak”
  4. “The Funeral”
  5. “The Wrong Nigga To Fuck Wit”
  6. “My Summer Vacation”
  7. “Steady Mobbin'”
  8. “Robin Lench”
  9. “Givin’ Up The Nappy Dug Out”
  10. “Look Who’s Burnin'”
  11. “A Bird In The Hand”
  12. “Man’s Best Friend”
  13. “Alive On Arrival”
  14. “Death”

The Life Side

  1. “The Birth”
  2. “I Wanna Kill Sam”
  3. “Horny Lil’ Devil”
  4. “Black Korea”
  5. “True To The Game “
  6. “Color Blind”
  7. “Doing Dumb Shit”
  8. “Us”
  9. “No Vaseline”

 

Letícia Picolo lança videoclipe Dias Tristes em San Junipero

O clipe produzido pela KILO INC. e dirigido por André Donato é o último single antes do EP Classic
A cantora de Pop e R&B, Letícia Picolo, lança, nesta terça-feira, 04 de abril, o videoclipe da música Dias Tristes em San Junipero. A música é o último single antes do lançamento do EP “Classic” e serve como prévia do que os fãs de R&B e Pop devem esperar dessa nova promessa da música nacional.

Leticia

A produção foi feita em parceria com a KILO INC. e direção de André Donato retrata uma neurose particular cotidiana. Em meio a uma reflexão um tanto quanto neurótica, a artista transpassa desde o desespero da indecisão, da falta de direção e pensamentos autodestrutivos até o alívio do amor próprio, do encontrar a própria essência e da certeza do caminho certo.

Inspirado no episódio da série Black Mirror, Dias Tristes em San Junipero é um turbilhão de sentimentos e pensamentos reflexivos descritos com toda a classe sempre presente nas composições da cantora.

Letícia é paulistana de 23 anos, e com referências de pop e R&B, a cantora já possui dois singles lançados: Leve e Cansei com a Souto MC.

O seu primeiro álbum irá chegar nas plataformas digitais no dia 17 de abril e promete vir com toda a influências musical da cantora, como; Nina Simone e Etta James na técnica vocal, a sensualidade de Beyoncé e Rihanna na identidade, na composição dos beats, SZA e Kehlani e a força musical brasileira de Ana Carolina e Elis Regina.

Carregado de sentimento em cada composição e uma lírica melódica o primeiro disco da cantora promete vir cheio de classe!

Confira aqui:

 

SITE KILO INC:

https://www.kiloinc.com.br/

Finalmente a discografia do Planet Hemp chega às plataformas digitais!

Sony Music disponibiliza álbuns da Banda para streaming e download

A Sony Music lançou hoje nas plataformas digitais os três álbuns de estúdio da carreira do grupo de rap-rock Planet Hemp. Disponíveis pela primeira vez para streaming e download, “Usuário”, “Os Cães Ladram Mas A Caravana Não Pára” e “A Invasão do Sagaz Homem Fumaça” foram lançados originalmente entre 1995 e 2000 e incluíram hits como “Legalize Já”, “Queimando Tudo” e “Ex-Quadrilha da Fumaça”. Os trabalhos de estúdio da banda se juntam ao álbum “MTV Ao Vivo: Planet Hemp”, de 2001, que chegou ao digital em novembro.

Formado em 1993, o Planet Hemp é um dos nomes mais celebrados da cena brasileira, marcado por discursos de cunho social e o posicionamento favorável à legalização da maconha. O grupo apresentou artistas como Marcelo D2, BNegão, Black Alien e Apollo 9 e chegou a conquistar quatro discos de ouro com seus trabalhos ao vivo e em estúdio.

 

Álbuns que você precisa ouvir: The Miseducation of Lauryn Hill

Primeiro álbum solo de Lauryn Hill o The Miseducation of Lauryn Hill (1998) precisa muito estar na sua playlist.  Além de ter uma série de singles de sucesso e é o marco do estilo neo soul.

The miseducation.jpg
Capa do álbum

Hill quebrou barreiras para artistas negras com esse trabalho. O disco estreou em primeiro lugar na Billboard nos Estados Unidos, vendeu mais 400 mil cópias na primeira semana, ultrapassando o recorde de Madonna, e desde então já vendeu mais de 17 milhões de unidades no mundo inteiro.

Além de abrir as portas da indústria para as mulheres, Lauryn, abriu para o hip hop. O álbum The Miseducation foi o primeiro disco de hip hop a vencer o Grammy de Álbum do Ano.

Em 1999, ela foi indicada para 10 Grammys e ganhou 5 deles, na época um recorde para uma mulher. Suas cinco estatuetas criaram uma audiência mais ampla para o hip-hop e ajudaram o gênero a conquistar o mainstream.

The Miseducation é conhecido, principalmente pelos vários singles como; o hino Doo Wop (That Thing), Everything is Everything, To Zion, e Ex-Factor (choremos nessa música). Em 1999, o álbum ganhou dez nomeações, isso mesmo 10 nomeações, para o 41º Grammy Awards, ganhando cinco, fazendo de Hill a primeira mulher a receber esse montante em uma única noite.

Antes mesmo de Adele e Beyoncé fazer aquela foto clássica ostentando Grammy’s a diva da Lauryn Hill abriu o caminho!

grammy lauryn.jpg
Diva, né mores ❤

O álbum também é o marco da incorporação de elementos musicais do hip hop com soul, música gospel e reggae. Esse trabalho ajudou posteriormente a definir o estilo neo-soul. O álbum está na lista dos 200 álbuns definitivos do Rock and Roll Hall of Fame.

Vida pessoal

O álbum foi gravado nos estúdios Tuff Gong de Bob Marley, em Kingston na Jamaica. Foi a época em que Hill estava envolvida com Rohan Marley, filho de Bob. A Mc estava grávida na época da criação desta obra prima.

O álbum reflete muito esse momento da vida pessoal da artista. Na época a cantora passava por tensões dentro do Fugees também. A música “The Zion”, foi uma homenagem ao seu filho, Zion, que estava na barriga na época da concepção do álbum e foi um desabafo de uma mulher que se encontrava no conflito de largar a carreira e cuidar do filho ou dar continuidade.

“Look at your career,” they said
“Lauryn baby use your head.”
But instead I chose to use my heart

 Além disso, Hill foi uma das pioneiras a colocar letras de consciência social em sua música e falar sobre sua vida. A música Doo Wop fala sobre objetividade sexual. E sobre a liberdade também. No último refrão ela fala;

“Girls you know you’d better, watch out
[Tradução]Garotas é melhor você ficarem ligadas
Some guys, some guys are only about (About!)
[Tradução]Alguns garotos só estão atrás daquilo
That thing, that thing, that thing!”

Guys you know you’d better, watch out
[Tradução]Garotos é melhor você ficarem ligadas
Some girls, some girls are only, about
[Tradução]Algumas garotas só estão atrás daquilo
That thing, that thing, that thing!

hill

E na música Ex Factor fala sobre o fracasso nos relacionamentos.

Nome e capa do álbum 

O nome do álbum já mostra o que podemos esperar do conteúdo. O The Miseducation, que traduzindo ao pé da letra quer dizer “A Educação errada de Lauryn Hill”. A capa é como se fosse uma carteira antiga de escola com o rosto dela talhado.

A introdução do álbum é uma chamada em sala de aula. Todos esses elementos dão o indício que a titia Lauryn vai te ensinar tudo ao contrário do que você aprendeu.

Infelizmente, seu primeiro lançamento em estúdio também seria o último. Ainda aguardamos a volta de Lauryn Hill ou até mesmo a do Fugeens né!

Ouça aqui o álbum completo:

A melhor performance que você poderia ter visto no Grammy 2017; A Tribe Called Quest e Anderson .Paak

Antes de qualquer comentário sobre o grammy queria falar que a Bey estava MARAVILHOSA diva lacradora! Mas vamos voltar nossos comentários e atenção para essa performance, que eu acredito que foi histórica; A Tribe Called Quest e Anderson .Paak.

Primeiro vamos começar com esse gif do Anderson.Paak! Isso que é performance! Esse é o verdadeiro significado do “Vamos quebrar tudo!”

 

Quando assisti pensei que seria apenas uma performance de homenagem a Phife Dawg (que já é foda para caralho), mas a apresentação foi mais do que uma homenagem! Virou um ato político! E isso começou quando Q-Tip proferiu as seguintes frases “We don’t believe you ‘cause we the people. Are still here in the rear, ayo, we don’t need you”

Iria começar o hino “We The People”!

Eles chamaram Busta Rhymes e Consequence para cantar com eles. Não bastasse isso várias pessoas começaram a entrar no palco caracterizadas com o estilo de cada cultura!

E para deixar a gente no chão na parte do Phife Dawg eles soltaram os vocais dele e jogaram uma imagem enorme na tela!!!!

E para encerrar esse EVENTO e Q-Tip repetiu a palavra “Resist” e nosso amigo Busta aproveitando a deixa falou “President Agent Orange”!

Confira essa performance aqui:
https://vid.me/itgM